De quantos recomeços você precisa?

Nunca imaginei o quanto a vida nos prega centenas de peças até dar de cara com mais uma: o desemprego.  Há um certo tempo, fiz um pacto “meio injusto “ comigo mesma de que NUNCA seria demitida.
Então, quando isso aconteceu, eu fiquei completamente sem chão, sem ação. Talvez eu não tenha percebido os sinais, mas para mim eles não existiram, assim, fui pega totalmente de surpresa.
Sai dali sem rumo ás 08:30h da manhã. Não sabia para onde ir, o que fazer. Tudo o que eu pensava era naquela infeliz promessa que eu tinha feito a mim mesma. Cheguei em casa por volta das 17h. Não conseguia falar o que tinha acontecido, só chorava, desesperadamente.
A sensação era de fracasso, derrota, incompetência e mais:  eu havia quebrado uma promessa. Ah como eu fiquei mal! Somos muito cobrados pelos outros, mas imensamente exigidos por nós mesmos. Foram uns três meses sem conseguir colocar as ideias em prática. Nem ao menos pude separá-las.
Mas uma coisa eu tinha por certo: esse era o momento de eu empreender nos meus sonhos. Trabalhar com gente, atender pessoas, suas necessidades. Atender aos seus desejos, resolver insatisfações, ouvir, aprender. Aprender, ouvir.
Sempre gostei dessa interação, mas precisava ter autonomia para aplicar aquilo que eu acreditava ser o ideal depois de ouvir pessoas, testar e adaptar todo o conhecimento adquirido com elas. Tudo o que eu nunca consegui fazer com liberdade.
Há alguns anos, fiz algo parecido, conciliando com o meu trabalho “formal’. Nunca me senti tão feliz e realizada, mas naquele momento, não tive a coragem para arriscar …
Com pouco mais de dez anos no mercado de serviços, nunca aprendi tanto como nesses últimos meses. E foi exatamente nesse tempo em que percebi que eu estava “presa” em um mundo em que eu era considerada boa, mas que fora dele existia uma imensidão de coisas extraordinárias acontecendo. Fiquei APAVORADA!
Inúmeras informações, novidades. Conteúdos inspiradores! Eu me sentia entusiasmada e ao mesmo tempo perdida com tanta coisa boa. Tentava separar, mas tudo era muito interessante. Foi aí que eu pensei que independente de trabalho, empresa ou profissão, eu não poderia mais me fechar em uma bolha, porque uma hora ela estoura e eu acabaria me machucando.
Não faço mais promessas que não dependam apenas de mim. Não posso responder pelos outros e nem sempre temos a oportunidade de interagir com eles.
Depois de tanto aprendizado, do dinheiro curto, contado e quase acabando, consegui colocar o meu sonho em um papel.
Descobri nesse ciclo com quem de fato, eu poderia contar (pouquíssimas pessoas, poucas mesmo!) e essa ajuda foi tão importante que hoje estou aqui: falando para vocês sobre mais um recomeço de um sonho tirado do papel e cravado na minha vida.
Tive inúmeros recomeços. Perdi pessoas fundamentais na minha vida. Precisei enxugar as lágrimas e só chorar depois de ter resolvido vários problemas. Nunca foi fácil e nunca será.
Precisamos encarar a vida com suas lutas diárias, com suas dificuldades, com as pessoas malignas e de energia negativa e aprender a lidar com tudo isso e com elas.
Porque a recompensa está nos sorrisos que recebemos, nas pessoas que nos estendem a mão. Nos exemplos de quem luta todos os dias para sobreviver a uma doença grave, olhando para nós e imaginando como queria os nossos problemas.
Precisamos, sofrer, chorar. Mas necessitamos seguir adiante, porque sempre terá um problema maior, uma pessoa pior, uma situação mais difícil. E se a gente se arma de alegria e pessoas boas, todas as pedras serão retiradas.
Eu não sei de quantos recomeços eu precisarei, mas acho que todos os dias me traz a oportunidade de ser melhor, de fazer diferente, de se fazer essencial.
Já dizia o grande Fernando Pessoa: “ Se achar que precisa voltar, volte! Se perceber que precisa seguir, siga! Se estiver tudo errado, comece novamente! Se estiver tudo certo, continue! Se sentir saudades, mate-as! Se perder um amor, não se perca! Se o achar, segure-o! Circunde-se de rosas e ame! O mais é nada”!
A minha vida é como a minha mão, e minhas escolhas estão dentro dela. Tão claras e brilhantes como o mar nessa linda foto. Que por sinal, é de uma querida amiga, que luta diariamente pelo seu recomeço, assim como nós!

Deixe uma resposta